certificação cfg, anbima CFG, anbima cga, certificação cga
|

Certificações CGE e CGA da ANBIMA: Entenda as Diferenças Cruciais

As certificações CGE (Certificação de Gestores) e CGA (Certificação de Gestores de Agências) emitidas pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (ANBIMA) são marcos importantes no setor financeiro brasileiro. Elas conferem reconhecimento e competência aos profissionais que atuam em cargos de gestão de recursos e serviços financeiros. No entanto, essas certificações atendem a diferentes necessidades e competências. Vamos explorar as diferenças cruciais entre elas.

1. Escopo e Público-Alvo:

A Certificação CGE é destinada a profissionais que atuam como gestores de recursos de terceiros, ou seja, aqueles que gerenciam carteiras de investimentos de clientes, sejam eles pessoas físicas ou jurídicas. Ela é um requisito fundamental para profissionais que desejam atuar em cargos de gestão de fundos de investimento.

O profissional certificado CGE poderá atuar mais especificamente na indústria de produtos estruturados, como por exemplo: FIDC (Fundos de investimento em direitos creditório), FII (Fundos de investimento imobiliários), FIP (Fundos de investimento em participações) e Fundos de índice.

Esta certificação é obrigatória para quem ocupa cargos com poder de decisão de compra e venda dos ativos financeiros que integram as carteiras desses veículos de investimento.

Por outro lado, a Certificação CGA se destina a habilitar profissionais a atuar com gestão de recursos de terceiros em fundos de investimento de renda fixa, ações, cambiais, multimercados, carteiras administradas e fundos de índice.

Ela também é obrigatória para quem ocupa cargos com poder de decisão de compra e venda dos ativos financeiros que integram as carteiras desses veículos de investimento.

2. Como se certificar?

Para se certificar na CGE, é necessário possuir a certificação CFG, CFA (Chartered Financial Analyst) ou CAIA (Chartered Alternative Investment Analyst) e ser aprovado no exame de certificação. O exame da CGE tem duração de 2h30 e 45 questões. Para ser aprovado, é necessário obter no mínimo 70% de acertos.

Para se certificar na CGA, é necessário possuir CFG, CFA (Chartered Financial Analyst) ou CAIA (Chartered Alternative Investment Analyst) e ser aprovado no exame de certificação. A prova da CGA tem duração de 2h30 e 45 questões. Para ser aprovado, é necessário obter no mínimo 70% de acertos.

3. Conteúdo Programático:

A CGE é uma certificação complexa e aprofundada, abrangendo oito áreas de conhecimento relacionadas ao universo de gestão de produtos estruturados. Seu conteúdo programático inclui temas como:

1. Investimentos imobiliários
2. Private equity
3. Securitização de recebíveis
4. Fundos de índice
5. Investimentos no exterior
6. Avaliação de desempenho
7. Gestão de risco
8. Legislação, regulação e tributação

A CGA, por outro lado, abrange seis áreas de conhecimento relacionadas ao universo de gestão de fundos de investimento:

1. Gestão de carteiras – renda variável
2. Gestão de carteiras – renda fixa
3. Investimentos no exterior
4. Avaliação de desempenho
5. Gestão de risco
6. Legislação, regulação e tributação

4. Impacto na Carreira:

Ambas as certificações podem ter um impacto significativo na carreira dos profissionais. Ela pode abrir portas para cargos de grande responsabilidade. Confira a quantidade de profissionais certificados:

Certificações emitidas (dados de agosto/2023)

  • CPA-10: 506.092
  • CPA-20: 248.759
  • CEA: 35.565
  • CFG: 7.370
  • CGA: 6.341
  • CGE: 5.665

Percebe-se o quão essa certificação é exclusiva e traz diferencial aos profissionais. Em resumo, as certificações CGE e CGA da ANBIMA atendem a diferentes necessidades e públicos-alvo no setor financeiro brasileiro. A escolha entre elas deve ser baseada na sua área de atuação e objetivos de carreira. Ambas são valiosas e podem contribuir para o desenvolvimento profissional e o reconhecimento no mercado financeiro.

Leia também

Posts Similares